10 setembro 2010

Boa pergunta...


Invariavelmente questiono-me.

11 Comments:

Blogger ~Gil said...

Se causaste algum impacto na vida de pelo menos uma pessoa já valeu a pena.
Dito isto... Who cares?
Não desperdices tempo de vida, já desperdiçamos muito a dormir.

10/9/10 00:19  
Blogger Speedy said...

bolas, andas com perguntas difíceis...

10/9/10 00:28  
Blogger zeh said...

O que te interessa? Estarias morto... :s Percebo o porquê da questão mas acho que esta é, claramente, uma pergunta parva cuja resposta só serviria pra medires o teu "valor" em termos do que os outros pensam de ti. E nesse aspecto, acho muito mais importante medires esse mesmo "valor" em função da tua própria satisfação contigo próprio, em vez de ficares a depender do resto das pessoas. Deixo duas sugestões (para não lhes chamar conselhos, porque não gosto de dar conselhos a ninguém):

- antes de querer fazer com que os outros gostem de nós, temos que gostar de nós próprios.
- há que aprender a estar sozinho e, acima de tudo, apreciar isso e não desesperar por companhia.

E não, não me importo que me chamem "bruto", mas de vez em quando são precisos uns abanões pra libertar esses maus espíritos :P

10/9/10 09:54  
Blogger Eu said...

Na verdade, se morresses a probabilidade de eu vir a saber era muito pequena (como bem sabes).

Mas não te preocupes, já em vida penso em ti, quando morreres continuarei a relembrar-te.

Tás a ver? Ainda existe quem se preocupe contigo... o pessoal dos restantes comentários. ;o)

10/9/10 11:48  
Blogger Angelo said...

Como diria a minha já partida sábia Miquelina: quero lá saber. O que importa é que me tratem bem enquanto estou viva.
E concordo em absoluto com ela!

11/9/10 14:15  
Blogger Mike said...

Eh pá, e pensava que eu é que fazia muitas perguntas. Ao pé de ti sou um menino.
Embora ainda as faça, aprendi com o tempo a não me chatear ou sequer saber das respostas. Deixei de viver o dia a dia condicionado com as respostas às minhas dúvidas existenciais.
Como escreveu Pessoa: "Vivo sempre no presente. O futuro, não o conheço. O passado, já não o tenho"

Um abraço.

12/9/10 15:23  
Blogger João Mateus said...

Como diz o Antonio Feio " Não deixes nada por dizer, não deixes nada por fazer" , caso partisses teria pena de não te ter conhecido melhor.

13/9/10 10:04  
Blogger João Mateus said...

ps: tem no meu blog a continuação do meu post. ;O)

13/9/10 10:05  
Blogger Ritchie said...

Acredita que não seria apenas uma pessoa a ter alçgum desses sentimentos por ti... não te convenças. acredita mesmo porque tem de ser verdade!

14/9/10 17:31  
Blogger Indy said...

Concordo ~Gil.. Importa viver plenamente e de forma verdadeira! E só cada um, deveria ser o primeiro a cuidar de si próprio (apesar que isto, muitas vezes, é mais fácil dizer/escrever...)

Bem, passei no teu blog e vou explorá-lo mais um pouco, porque gostei!
Bjinhos

22/9/10 11:10  
Blogger Pedro Crispim said...

Ola

Obviamente que todos a determinada altura mais fragil na nossa vida,já colocamos essa mesma questão, mas, na realidade tambem todos já nos sentimos amados, já nos sentimos desejados!
Existem dias de solidão que nos parecem dolorosamente eternos, algumas feridas que teimam em não fechar, mas tudo isso acontece por algum motivo, os sinais estão na mesa so temos que estar atentos!


Sucessos
Pedro C

4/10/10 11:27  

Enviar um comentário

<< Home