10 junho 2010

Trivialidades... ou não...

Conversa (supostamente) trivial à hora de jantar...

Mãe: Sabes, hoje encontrei a D...

Eu: Quem é a D.?

Mãe: A D., a vizinha do C., o que era o teu melhor amigo na escola. Perguntei se sabia alguma coisa dele e disse-lhe que se me cruzasse com ele, provavelmente não o reconheceria. Ela diz que está muito diferente, que está mais gordo...

Eu: Hum...

Mãe: Disse-me que o C. formou-se em Engenharia, comprou carro e já comprou casa. Mas vive sozinho. Eu não disse nada mas enquanto a D. me contava isto eu pensava "só o meu filho é que não compra casa; só compra roupa de marca..."

Eu: ....

E assim se dá uma rebocada, assim se deixa em baixo quem em baixo está. Soubesse ela o quanto eu gostaria de poder ter o meu canto, conseguir acarretar financeiramente todos os encargos que uma casa envolve... Mas não, duvido que saiba...
Sempre pensei que me quisesse por perto, porque a idade avança e, mais cedo ou mais tarde, alguém terá de olhar pelos nossos ascendentes. Mas pelos vistos não...
A vontade é grande mas nada, absolutamente nada ajuda...

Etiquetas:

13 Comments:

Blogger Eu said...

A minha mãe prefere-me ter sempre debaixo da asa, mas eu já tratei de "lhe fugir". Só falta mesmo o "corte" radical.

É bom ter um canto só nosso...

10/6/10 20:44  
Blogger pinguim said...

Acho que arranjar um "canto" seu é um anseio de toda a gente, mas nem sempre é fácil.

10/6/10 21:10  
Blogger Blog Liker said...

Desconheço o contexto, e posso estar a intrometer-me onde não devo, mas pode ter sido por bem: afinal, a maioria das mães quer ver os filhos com estabilidade e casa e blá, blá, blá...

Ah, e o lado positivo: antes com companhia de mãe do que gordo, sozinho e com empréstimos para pagar bens! LOL

Toca a animar!

10/6/10 21:51  
Blogger André! said...

Referir a roupa de marca foi algo ousado, se me permites...=/

10/6/10 21:53  
Blogger Mike said...

Como eu te entendo.
É aquela dualidade do "contentamento descontente", a "ferida que dói e não se sente"...
Eu já tenho o meu canto, mas o "corte" está difícil, um pouco também devidos a estas dualidades que me vão assolando.
Abraço.

11/6/10 22:59  
Blogger Little Tiago Boy said...

A tua mãe deve de te querer por perto, mas ao mesmo tempo quer que tu tenhas o teu cantinho.

Mãe é mãe, e querem o nosso bem a todos os níveis.

Btw, vê os Rec's. Vale muito a pena! Pelo menos é o que eu acho ;)

Hugz ;)

12/6/10 15:12  
Blogger Individual(mente) said...

Eu:
Nunca irás fazer esse corte radical... Quem é que te faz aquela comida especial, quem é? :P
Meanwhile, usufrui do jardim :)

João:
Anseio = ansiedade. É um termo que me abala um pouco... E de ansiedades já eu ando farto... :s
Forte abraço

Blog Liker:
Conhecendo a minha mãe, por bem não foi... Temos personalidades parecidas por isso... a resposta tarda mas não falha!
Obrigado pelo alento! :)

André:
Ousado por parte de quem? Minha ou dela?

Mike:
É isso mesmo. Tem coisas muito boas mas... há outras que fazem muita falta...
Forte abraço

Petit Tiago:
Nunca duvidei que quisesse o meu bem mas há coisas que doem ouvir... E já não é a primeira... :s

O videoclube ao pé da (não) minha casa já fechou. Vou ter de sacá-los...
Abraço

13/6/10 15:58  
Blogger silvestre said...

Era apenas conversa de mãe ;-)
Faz parte do papel. De um lado a comida boa, do outro, estas conversas.

Relativiza e humoriza. Um grande sentido de humor faz-nos passar por entre as gotas da chuva :-)

15/6/10 13:16  
Blogger Angelo said...

De facto, foi um nadinha forte... Mas devias lgo ter.lhe perguntado se não te queria ao seu lado? Ainda se iam rir os dois.

E, sim, é difícil...

19/6/10 09:51  
Blogger pedro crispim said...

Ola
Na realidade essa conversa pode ter outra leitura, talvez o que ela sentiu e talvez não se tivesse expressado da melhor forma, foi a de que gostaria que a tua situação estivesse mais estavel, que nesta altura talvez fosses completamente independente e tudo isso socialmente significa estar equilibrado e ser bem sucedido... Embora nos dias de hoje tudo isso aconteca de forma mais tardia pelas razões que todos saibamos!
Obviamente que a mesma gosta muito de te ter por perto...mas na conversa com a tal amiga ela gostaria provavelmente de ter podido afirmar o mesmo em relação á tua estabilidade fincanceira e posteriormente precisou desabafar isso... contigo, e em ti...
No fundo ela sabe que essa segurança acima de tudo te deixaria feliz!

DICA: Deixar de gastar dinheiro em roupa de "marca" é um principio, e falo contra mim!

Sucessos
Pedro C.

20/6/10 16:46  
Blogger Sofia said...

Tudo virá a seu tempo. Faz por isso. :)

1/8/10 15:23  
Blogger Ritchie said...

Muito obrigado pela tua visita no meu blog, passa sempre que quiseres que serás sempre muito bem vindo... quanto a esta tua situação, que me chamou à atenção após o teu comentário lá no Visions... não desesperes... até porque o processo de ter um cantinho teu não é a coisa mais fácil do mundo… olha que eu falo por mim que as dores de cabeça, por vezes, tolheram o bonito da coisa e desesperei entre mudanças, esperas, contratempos e burocracias
Vi 50 e poucas casas, demorei sete meses a fazer essa procura e, quando a encontrei, outros dois a andar para trás e para a frente com o processo do banco e mais um mês e meio com obras que me disseram durarem duas semanas.
Todo o dinheiro que tinha de parte desapareceu, actualmente tenho o que me resta do ordenado deste mês, as obras ficaram aquém daquilo que pretendia e móveis... bem... compram-se quando vierem os subsídios ou quando sobrar qualquer coisinha. Por ora remedeio-me com o que já tinha até porque, entre mercearias, contas e despesas da casa o que sobra é muito pouco... estou feliz? Sim, realmente estou, mas estive muito tempo a sonhar com isto. Foi preciso sacrifício durante muito tempo e, principalmente, acreditar... acredita também. Acredita em ti e no que acontecerá... projecta tudo aquilo que queres que aconteça e não penses no que corre mal por agora... Sempre que precisares de algo dispõe... terei todo o gosto em ajudar ;)
Abraço forte

2/8/10 00:10  
Blogger Ritchie said...

P.S- Adoro a minha mãe, assim de paixão... mas é também dela que oiço as coisas que às vezes menos esperava e mais me magoam... tenho pena de ouvi-la dizer alguma coisa porque, simplemente, não conseguiu colocar-se no meu lugar e compreender o quão em baixo possa estar ou o que um simples comentário pode fazer... faz parte... acho que todas são assim, coragem com essa etapa também ;)

2/8/10 00:13  

Enviar um comentário

<< Home